Projetos Especiais Studium

Os lugares do fotográfico na cena contemporânea

Editorial

Desde os primeiros instantes nos quais a imagem fotográfica foi visível para além dos pioneiros experimentadores do processo como permanência do “isto foi”, tornou-se também uma imagem em circulação, e sua existência e consolidação social deve-se essencialmente ao sentido do compartilhamento. O fotográfico, no seu sentido mais complexo, permeou a vida das pessoas, instituições e outros dispositivos sociais, com alcance cultural pouco visto em outros meios. O fluxo atual de tela a tela, substituindo o papel e o contato físico com a materialidade, trouxe novas formas de compartilhamento, no qual a temporalidade encurtou distâncias e o lugar do fotográfico transformou-se em simultaneidade e presentificação.

Nada é novo no fotográfico ou nas suas formas de apreensão da realidade otimizada por processos programáticos hoje ao alcance de todos, mesmo que ainda não conheçam a caixa preta. As experiências fotográficas do passado ganharam um novo lugar, muito mais rápido, o que impossibilita na maior parte das vezes o lugar da contemplação. A experiência pessoal passa hoje em dia pela experiência fotográfica, ou pelo simples ato de fotografar. A incorporação do ato fotográfico em todos os momentos da vida atual possibilitou que um biombo imagético tenha se potencializado em mediação da vida.

A fotografia tem ocupado um espaço cada vez mais hibridizado e, ao mesmo tempo, sem perder suas relações ontológicas com o meio, nos museus e galerias. Essa presença aparece hoje em dia não como um lugar isolado no campo das artes, mas integrado à arte contemporânea. O fotográfico apresenta-se como lugar residual do maquínico e dos meios reprodutíveis, e também na sua forma mais original; o fotográfico tornou-se o referente da fotografia. O seminário pretendeu trazer questões no campo contemporâneo da arte, localizando produções e pensamentos nos quais o fotográfico tem existência como reflexão criativa.

A atual edição traz as falas dos convidados ao IV Seminário Studium, transmitida on line, mas agora com edição de imagens e de forma estar ao alcance de todos, assim, cumprimos uma tarefa digna, que é compartilhar o pensamento de nossos convidados com todos os nossos leitores. Para além do biombo e da mediação, as falas contribuem para reconhecermos os lugares da fotografia na cena contemporânea.

Assim, Andreas Valentin, após passagem de um ano na Alemanha, quando em pesquisa de pós-doc, nos trouxe sua visão do Mês da Fotografia de Berlim, pouco conhecida e debatida entre nós. No mesmo sentido, Milton Guran, criador e curador do principal festival de fotografia do país, o Fotorio, aborda o processo de curadoria e organização do encontro de 2015, relatando pormenorizadamente todo o processo de produção e seleção das exposições, e centrando-se nas fotografias da temática principal do evento: a cidade do Rio de Janeiro.

No campo museológico, a longa experiência de Eder Chiodetto, como curador de importantes exposições, nos relata em detalhes sua experiência à frente do Clube de Colecionadores de Fotografia do MAM-SP (Museu de Arte Moderna de São Paulo). Sua fala apresenta o lugar do acervo de fotografias dentro de um museu e as linhas de pesquisa que enxerga na produção fotográfica contemporânea. Na mesma temática, Ricardo Resende nos apresenta o processo de curadoria da I Bienal de Fotografia do MASP (Museu de Arte de São Paulo) em 2013, discutindo as idiossincrasias com a instituição e comenta artistas e imagens, destacando as relações intrínsecas a esse processo.

Sempre com muita riqueza, o encontro de artistas comentando suas trajetórias e suas obras é momento de forte efervescência criativa, pois o autor se coloca diante de si mesmo, diante do outro e diante da arte. Assim, Ricardo Hantzschel refez seus caminhos na fotografia e nos seus processos, e principalmente apresentou o processo criativo que resultou em seu livro “SAL”, resultado da pesquisa imagética de projeto contemplado no Prêmio Marc Ferrez de Fotografia. Ela fez uma apresentação baseada em um texto pessoal - “Images do not exist”-, que aborda o sentido conceitual de seu trabalho fotográfico, principalmente duas questões que permeiam seus questionamentos e sua produção: “O que é uma imagem? ”, e, “O que é uma fotografia? ”. Sofia Borges apresenta e comenta uma série de imagens selecionadas dentro desses questionamentos.

A fotografia como aparelho foi incorporada na vida cotidiana como lugar de reconhecimentos e identidades, de forma ampla e com diversidade expressiva nas trocas sociais. Recentemente, a Biblioteca Pública de Nova Iorque organizou uma exposição com o título “Public Eye – 175 Years of Sharing Photograph” (dezembro/2014 a setembro/2015), em uma curadoria sobre a importante coleção fotográfica da instituição. A ideia de compartilhar emoções, experiências criativas, lugares, buscas e desafios na extensão do olhar, e no encontro da imagem maquínica com o humano. Ao compartilhar os encontros ocorridos em mesas no IV Seminário Studium, penso que estamos dentro dos princípios que norteiam o fotográfico desde sua gênese.

Expediente

Projetos Especiais Studium
ISSN: 1519-4388
fevereiro de 2016

Imagem da capa: Invenção, de Fabio Gatti

Equipe Studium:
Coordenação Editorial: Fernando de Tacca
Comissão Editorial: Iara Lis Schiavinatto e Mauricius Farina
Assistente Editorial e Revisão: Paula Cabral Tacca
Assistentes de Produção: Conrado Moraes, Gabriel Pereira, Pablo Gea e Patrícia Bento Rosa
Editores de Vídeo e Áudio: Valdir Paixão Rodrigues Junior e Pablo Gea
Consultoria Bibliográfica: Maria Lúcia N. D. Castro
ß-tester PC: Rogério Simões da Cunha
Estagiário: Gabriel Pereira
Suporte Técnico e Programação: Daniel Roseno da Silveira
Webmaster e Designer: Lygia Nery

Andreas Valentin - Mês da Fotografia de Berlim 2014
16 de outubro de 2015, no auditório do IA, Unicamp

Em função de problemas técnicos na captação, este vídeo mostra apenas parte da apresentação de Andreas Valentin

Milton Guran - Fotorio 2015
16 de outubro de 2015, no auditório do IA, Unicamp

Sofia Borges - Encontro com o artista: trajetórias e processos criativos
30 de outubro de 2015, no auditório do IA, Unicamp

Ricardo Hantzschel - Encontro com o artista: trajetórias e processos criativos
30 de outubro de 2015, no auditório do IA, Unicamp

Ricardo Resende - FotoBienal Masp 2013
6 de novembro de 2015, no auditório do IA, Unicamp

Eder Chiodetto - Clube de Colecionadores do MAM/SP
6 de novembro de 2015, no auditório do IA, Unicamp